Limpeza do fígado e vesícula

Aqui vou descrever inicialmente um resumo do tratamento. Logo depois o protocolo que eu fiz onde você deve imprimir para servir de orientação quando for fazer o tratamento E no fim os dois protocolos; da Dr. Hulda e do Andreas Moritz, ambos tirados da internet.

 

Por que fazer esta limpeza

Com o estilo de vida estressante, uma alimentação inadequada, aliada a bebidas alcoólicas, refrigerantes, fumo, remédios alopatas, vida sedentária, acaba sobrecarregando nosso ficado e a vesícula. O resultado é a formação de pedras, que ficam depositadas na vesícula e elas vão pressionando o fígado dificultando o funcionamento dos dois órgãos. Com as pedras se acumulando nos dutos, a pressão anterior no fígado se eleva e faz com que ele entregue menos bile e com que possa haver vazamento de bilirrubina para a corrente sanguínea. Com menos bile sendo entregue aos intestinos, menos colesterol deixa o corpo e os níveis de colesterol passam a se elevar bastante.

Além disso, essas pedras são porosas e as bactérias, vírus e parasitas que passam normalmente pelo fígado podem se aderir às paredes das pedras, formando focos de infecção interna que fornecem ininterruptamente microrganismos nocivos ao corpo. Existem mais de meia dúzia de variedades de pedras biliares, e a maioria tem cristais de colesterol como núcleo. No núcleo de cada pedra há um aglomerado de bactérias, de acordo com cientistas.

Nenhuma infecção estomacal como úlceras ou inchaço intestinal pode ser totalmente curada sem remover essas pedras do fígado.

 

Prescrição

A limpeza é recomendada para casos clínicos hepáticos envolvendo o fígado ou a vesícula, fígado “gordo”, síndrome do intestino irritado, inflamação dos intestinos, colite, intolerância a alimentos, dificuldades digestivas e outros relacionados ao sistema digestivo inferior.

Eis alguns sintomas de quem tem problemas na vesícula ou no fígado:

  • Dificuldade para digerir comidas oleosas.
  • Sono e/ou peso após as refeições com comidas que contêm gordura (carne, pequi, fritura, cozidos com óleo, abacate, etc.)
  • Mau humor e irritabilidade frequentes.
  • Manutenção de uma alta taxa de glóbulos brancos (os leucócitos, entre eles os eritrócitos, linfócitos e neutrófilos).
  • Febre interna frequente.
  • Sistema imunológico deficiente contra infecções.
  •  

    Evite a cirurgia de retirada da vesícula

    Este procedimento contradiz vários pontos de vista médico. Acredita-se que as pedras biliares são formadas na vesícula biliar, não no fígado. Pensa-se que são algumas, mais são milhares. Os médicos não as ligam às dores além daquelas que atingem a vesícula.

    E é fácil compreender isso: quando a dor aguda aparece, várias pedras já estão na vesícula e são grandes e suficientemente calcificadas para serem vistas nos raios-X e, claro, já causaram inflamações lá. Quando a vesícula é retirada, as dores se vão, mas outros sintomas, como bursite e outras dores e problemas digestivos, continuam.

     

    Experiência e segurança

    Esta limpeza é muito segura. A Dra. Hulda Clark se baseou em mais de 500 casos, incluindo pessoas de mais de 70, 80 anos. Nenhuma teve que ir ao hospital ou relatou dores. Mas pode-se sentir um mal-estar por um ou dois dias após a limpeza, embora em cada um destes casos a limpeza de parasitas foi negligenciada. Após a limpeza de pedras da vesícula e do fígado são esperados os seguintes resultados:

  • Desaparecimento de crises hepáticas.
  • Desaparecimento de alergias, dores nos ombros, nas partes superiores dos braços e nas costas, a cada limpeza.
  • Aumento da energia para o dia a dia.
  • Melhora da digestão.
  • Melhora da saúde como um todo, já que a boa digestão é a base da boa saúde.
  •  

    Contra indicação

    Pessoas com problema de infecção nos rins (por causa do sal amargo, ou cloreto de magnésio, lei a bula).

    O ácido málico presente no suco de maçãs é muito bom para dissolver a bile estagnada, além de deixar as pedras macias. Porém há pessoas que não devem tomar grandes quantidades de suco de maçãs, mas nem sempre estão cientes disso. Estão incluídas pessoas com diabetes, hipoglicemia, candidíase, câncer e úlceras estomacais. Nesses casos, o suco pode ser substituído por ácido málico em cápsulas ou em pó. O período de preparação é o mesmo que usando o suco de maçãs, substituindo o mesmo por 1500-2000 mg do ácido, dissolvido em 2 copos de água morna. Beba a solução em pequenas doses ao longo do dia.

    Nunca realize este procedimento se estiver apresentando uma doença aguda, ainda que seja um simples resfriado. As doenças crônicas se beneficiam da limpeza do fígado, portanto não há qualquer problema em realizá-la nessas situações.

     

    Protocolo do modo que fiz

    Imprima esta parte para ser seu guia quando for fazer a limpeza

     

    Material necessário quantidade

    1 – Suco de maçã natural com a casca (de preferência utilize maçãs orgânicas). Será tomado um litro por dia durante a semana. Se sentir mal coma uma ou duas maças por dia.

    2 – Sais de Epson chamado de sal amargo (ou sulfato de magnésio ou citrato de magnésio). Quatro colheres de sopa (dois potes, cada um tem 30 gramas) dissolvidas em 760 ml de água mineral, são um total de 4 copos de 190 ml cada. Dois potes de 30 gramas cada de sal de Epson dissolvidos em 760 ml de agua mineral.

    3 – Azeite de oliva extra virgem, prensado a frio, meio copo (125 ml) misturado com a mesma quantidade de suco de limão (peneirado). Coloque o azeite e o suco de limão em um frasco de vidro com tampa (tipo frasco que vem o mel). Você vai ter que misturar bem o limão com o azeite.

    ATENÇÃO: Em geral são necessárias 6 a 10 limpezas do fígado para obter o melhor resultado, que podem ser feitas em intervalos de três semanas ou uma vez ao mês.

    Uma vez começada a limpeza do fígado, você deve dar continuidade a ela, até que saiam todos os cálculos. Evite intervalos maiores que 2 meses, pois pode gerar mal-estar. Considere a limpeza completa quando 2 limpezas seguidas já não produzirem a eliminação de cálculos, o que em geral acontece após 6 ou 8 limpezas.

    Nunca realize este procedimento se estiver apresentando uma doença aguda, ainda que seja um simples resfriado. As doenças crônicas se beneficiam da limpeza do fígado, portanto não há qualquer problema em realizá-la nessas situações. Pode ser que na primeira e na segunda não saiam nenhuma pedra, não desista continue, os benefícios você vai sentir.

    Não coma neste período. Alimentos e bebidas frias ou congeladas. Os alimentos devem estar aquecidos ou, pelo menos, na temperatura ambiente. Alimentos de origem animal, laticínios e frituras, açúcar, adoçantes, especiarias, leite de vaca, manteiga, óleos, iogurte, queijo, presunto, ovos, nozes, frutas oleaginosas, tortas.

     

    Preparação(suco de maçã)

    Tome um litro de suco de maçã diariamente, durante seis dias. Beba-o lentamente durante todo o dia, entre as refeições (evite tomá-lo antes, durante e até duas horas depois das refeições e à noite). Lembre-se: enxaguar a boca com bicarbonato de sódio e/ou escovar os dentes várias vezes durante o dia, para que o ácido málico do suco de maçã não danifique os dentes.

    Observação: o ácido málico presente em maçãs ajuda a amolecer os cálculos, facilitando sua eliminação.

    Não tome qualquer medicamento, vitaminas ou suplementos que não sejam absolutamente necessários (consulte seu médico para tomar essa decisão)

     

    1º dia – segunda feira ao 4º dia – quinta feira.

    Café da manha e lanche. De preferência a chás e sucos de frutas com farinha integral (quinoa, chia, linhaça) Tome um litro de suco de maça ao dia.

    Almoço e jantar: Verduras cozidas no vapor com arroz branco, pouco sal, evitar alimentos proteicos.

    A noite fazer uma lavagem intestinal com café. Só na segunda e na quinta feira. A lavagem intestinal é importante para lavar o intestino e usando o café, faz uma limpeza também no fígado. A lavagem não é obrigatório.

     

    Como fazer a lavagem intestinal.

    Use uma ducha feminina de lavagem vaginal. Compre em uma farmácia.

    Todo material tem que estar limpo e esterilizado. Lava as mãos e a região do anus com sabão.
    Um litro de café. Um litro de agua com 3 colheres de sopa de café. Use o café na temperatura ambiente ou um pouco aquecido. Coloque o café em um recipiente que possibilite você colocar a ducha de lavagem feminina. Você vai sugar o café para dentro da ducha feminina. Faça a lavagem preferencialmente no banheiro. Forre o chão com tapete ou toalha e deite-se de lado com uma perna esticada (a que estiver em contato com o chão) e a outra perna dobrada. Lubrifique com óleo ou creme o anus e o tubo da ducha de lavagem vaginal.

    Coloque o recipiente que esta o café perto de você, que possibilite você encher a ducha, depois você introduzir no anus, aperta a ducha para o café ir para o anus. Faça este procedimento ate acabar o café. Se não colocar todo o café (um litro) não tem problema.

    Agora se deite de barriga para cima com as pernas levantadas (apoie as pernas na parede ou cadeira), fique assim ate não aguentar mais, prenda a saída das fezes. São necessários aproximadamente dez minutos para que as substancias do café cheque ao fígado.

     

    5º dia – sexta feira

    1 – café deve ser leve. Sem óleos, lácteos.

    2 – tome um litro de suco de maça no período da manha.

    3 – almoço. Verduras e legumes no vapor, arroz integral, pouco sal. Evite alimentos proteicos.

    4 – Depois das 13.30 horas só beber água.

    5 – 17 horas.

    Adicione 4 colheres de sopa (dois potes de 30 gramas cada) de sal amargo ou sulfato de magnésio em 760 ml de agua. Deixe na geladeira. São 4 copos de 190 ml.

    7 – 18 horas. Tome o 1º copo da solução com sal amargo. Nos intervalos só pode beber água.

    8 – 20 horas. Beba o 2º copo da solução de sal amargo.

    9 – 20.30 horas. Prepare o azeite e o suco de limão.

    125 ml ou 1/2 copo de azeite de oliva extra virgem prensado a frio. De preferencia que seja ozonizado. 125 ml de suco de limão ou 1/2 copo. Coloque os dois em um vidro com tampa e coloque na geladeira. 10 – 22 horas.

    Em pé e ao lado da cama (não se sente) beba a solução do azeite com o suco de limão (misture bem antes de beber). Tampe o nariz para não sentir o gosto do azeite.

    Apague as luzes e deite imediatamente para dormir, fique de barriga para cima e com a cabeça elevada. Fique imóvel nesta posição por 1 hora. Tente dormir nesta posição. Respire tranquilo e relaxe.

     

    No 6º dia – sábado.

    1 – 6.30 horas ou quando acordar. Beba o 3º copo da solução do sal amargo. Não fique mais deitado.

    2 – 8.30 ou duas horas depois de acordar. beba a 4º e ultima solução do sal amargo.

    3 – 10.30. pode comer frutas.

    4 – 12.00 horas pode comer alimentos leves.

    5 – 20.00 horas pode voltar a sua rotina alimentar.

    6 – Verifique se evacuou os cálculos (pedras de cor verde). Este procedimento deve ser repetidos (de 3 a 4 semanas) ate que todos os cálculos sejam evacuados.

     

    Fim do tratamento.

    Abaixo fotos tiradas do site do Zé Cassago.

     

    tratamento

     

    É impressionante como realmente as pedra são expelidas.

     

    1 – Protocolo Dr. Hulda Clark

    Ela limpa o fígado e a vesícula e pode evitar a retirada cirúrgica da vesícula biliar.

  • Eis alguns sintomas de quem tem problemas na vesícula ou no fígado:
  • Dificuldade para digerir comidas oleosas.
  • Sono e/ou peso após as refeições com comidas que contêm gordura (carne, pequi, fritura, cozidos com óleo, abacate, etc.).
  • Mau humor e irritabilidade frequentes.
  • Manutenção de uma alta taxa de glóbulos brancos (os leucócitos, entre eles os eritrócitos, linfócitos e neutrófilos).
  • Febre interna frequente.
  • Sistema imunológico deficiente contra infecções.
  • Baixa capacidade de proteção do corpo.
  • Retorno de sintomas de doenças.
  • A limpeza é recomendada para casos clínicos hepáticos envolvendo o fígado ou a vesícula, fígado “gordo”, síndrome do intestino irritado, inflamação dos intestinos, colite, intolerância a alimentos, dificuldades digestivas e outros relacionados ao sistema digestivo inferior.

    É comum muitas pessoas, incluindo crianças, terem pequenas pedras nos finos dutos do fígado e também armazenadas na vesícula. Algumas desenvolvem alergias ou reações na pele e outras não apresentam quaisquer sintomas. Quando a vesícula é examinada com raio-X ou outros aparelhos nada é visto, pois na maioria das vezes essas pedras não estão na vesícula e também porque os equipamentos não conseguem detectar corpos muito pequenos ou que não sejam compostos de cálcio.

    Existem mais de meia dúzia de variedades de pedras biliares, e a maioria tem cristais de colesterol como núcleo. No núcleo de cada pedra há um aglomerado de bactérias, de acordo com cientistas.

    Com as pedras se acumulando nos dutos, a pressão anterior no fígado se eleva e faz com que ele entregue menos bile e com que possa haver vazamento de bilirrubina para a corrente sanguínea. Com menos bile sendo entregue aos intestinos, menos colesterol deixa o corpo e os níveis de colesterol passam a se elevar bastante.

    Além disso, essas pedras são porosas e as bactérias, vírus e parasitas que passam normalmente pelo fígado podem se aderir às paredes das pedras, formando focos de infecção interna que fornecem ininterruptamente microrganismos nocivos ao corpo.

    Nenhuma infecção estomacal como úlceras ou inchaço intestinal pode ser totalmente curada sem remover essas pedras do fígado. Para melhores resultados e para evitar um mal-estar após o processo, recomenda-se fazer antes a limpeza de parasitas seguida da limpeza dos rins e tratamento de cáries.

    Independentemente da limpeza dos rins é importante beber bastante água e suco para que todas as toxinas possam ser expelidas (Dra. Clark recomenda as demais limpezas para um processo integral, mas elas não são pré-requisitos desta).

     

    Segurança da limpeza

    Esta limpeza é muito segura. A Dra. Hulda Clark se baseou em mais de 500 casos, incluindo pessoas de mais de 70, 80 anos.

    Nenhuma teve que ir ao hospital ou relatou dores. Mas pode-se sentir um mal-estar por um ou dois dias após a limpeza, embora em cada um destes casos a limpeza de parasitas foi negligenciada.

    Após a limpeza de pedras da vesícula e do fígado são esperados os seguintes resultados:

  • Desaparecimento de crises hepáticas.
  • Desaparecimento de alergias, dores nos ombros, nas partes superiores dos braços e nas costas, a cada limpeza.
  • Aumento da energia para o dia a dia.
  • Melhora da digestão.
  • Melhora da saúde como um todo, já que a boa digestão é a base da boa saúde.
  •  

    Preparação para limpeza

  • Sal-amargo (ou sulfato de magnésio, sal de epsom ou MgSO4 + 7H2O) – 4 colheres de sopa (60 g)
  • Água mineral (ou água pura) – 3 copos (750 ml)
  • Azeite de oliva (extra virgem, primeira pressão a frio) – ½ copo (125 ml)
  • Limão fresco (qualquer tipo de limão, de preferência orgânico, ou grapefruit) – de 2 a 4 grandes (o suficiente para encher 2/3 de copo com suco, uns 180 ml)
  • Canudo para ajudar a tomar o óleo.
  • Observação: É melhor lavar os limões antes duas vezes com água quente e secá-los a cada vez. Escolha um dia como sábado para a limpeza para descansar no dia seguinte. Não tome qualquer remédio, vitaminas ou pílulas sem os quais você possa ficar, pois eles podem atrapalhar o processo de limpeza. Se estiver fazendo a limpeza de parasitas, pare 1 dia antes. É importante salientar que não se aconselha fazer a limpeza enquanto o estado de enfermidade estiver muito agudo.

     

    Parte 1 – café da manhã

    Sugestões: chás (menos de mate, preto, chocolate e café), evite ingerir pães (nem bolo nem biscoito, porque contêm óleo), sucos de vegetais, de verduras ou legumes e mel. Isso fará com que a bile se acumule e aumente a pressão anterior (atrás), o que favorece a limpeza porque mais pressão significa empurrar mais pedras para fora. Também mais bile descerá à vesícula e nela se acumulará.

     

    Parte 2 – almoço

    Faça uma comida leve, livre de qualquer gordura – não coma leite, coalhada, ovos, carnes (por causa do colesterol), azeite, manteiga, queijos, margarinas, abacate, patês, requeijão, castanhas, nozes, amêndoas, etc. – e evite proteínas e produtos que contenham cafeína (café, chá, etc.). Sugestão: a mesma acima.

    Parte 3 – pausa da ingestão

    Às 14 horas pare de comer ou beber. Se você quebrar esta regra poderá se sentir muito mal mais tarde. Prepare nessa hora o sal-amargo:

    Misture bem quatro colheres de sopa de sal-amargo (todo o recomendado) e os três copos de água (750 ml) em uma jarra. Distribua todo o conteúdo em 4 copos e coloque na geladeira.

    Nota: Você pode acrescentar vitamina C em pó à água ou substituir a água por suco puro de limão, de maçã ou de grapefruit para melhorar o gosto.

     

    Parte 4 – primeiro copo

    Às 18 horas, beba o copo 1 da mistura de sal-amargo que está na geladeira. Você pode bochechar com alguns goles de água após beber o sal-amargo para lavar a boca. Se já não estiverem, deixe os limões (ou grapefruit) e o azeite fora da geladeira para ficarem à temperatura ambiente.

    IMPORTANTE: Você pode ir ao banheiro a qualquer hora que tiver vontade, menos durante o repouso (após beber o óleo com limão).

     

    Parte 5 – segundo copo

    Às 20 horas, beba o copo 2 da mistura de sal-amargo que está na geladeira. Você pode bochechar com alguns goles de água após beber o sal-amargo para lavar a boca. Mesmo não tendo comido desde as 14 horas, você não sentirá fome. Já é hora de se preparar para dormir. Coloque tudo o que você precisa por perto porque o tempo com que os próximos passos são executados é fundamental para o sucesso da limpeza.

     

    Parte 6 – preparando o copo de óleo e limão

    Às 21h45 ou um pouco antes, separe meio copo de azeite de oliva (125 ml) e esprema os limões (ou grapefruit) até encher ¾ de outro copo, removendo a polpa com um garfo ou passando por uma peneira ou coador. Deve restar pelo menos ½ copo. Misture o suco espremido com o azeite. Coloque em uma jarra ou recipiente fechado (ou no liquidificador ou mixer de mão), tampe e chacoalhe bastante para misturar bem. Note que só o suco de grapefruit permite que a mistura fique homogênea. Portanto, talvez seja preciso mexer bem antes de beber a mistura. Agora vá ao banheiro uma ou mais vezes, mesmo que atrase a hora de tomar o óleo (às 22h), mas não passe mais de quinze minutos das 22 horas.

     

    Parte 7 – bebendo o óleo

    Às 22 horas, tome toda a mistura de óleo e limão.

    ATENÇÃO: Você deve beber o óleo estando em pé, não deitado.

    Dicas para beber o óleo

    Se tiver dificuldade para beber o azeite com limão (e terá que beber até a última gota), use alguns artifícios: bata no liquidificador ou mixer de mão para misturar bem; use um canudo para evitar que o líquido passe pelas papilas gustativas; tome mais devagar (não passe de 5 minutos para tomar tudo; pessoas mais idosas ou doentes podem estender até 15 minutos); alterne alguns goles com um pouco de mel.

    IMPORTANTE: Não vá ao banheiro durante o repouso (até 1 hora e meia após beber o óleo com limão). Deite-se imediatamente após beber o óleo. O quanto antes você deitar mais pedras sairão. Ao terminar de beber, dirija-se para a cama e deite na posição de costas (de barriga para cima) e com a cabeça no travesseiro. Se não fizer isso poderá não expelir as pedras. Portanto, esqueça a cozinha e atenha-se ao dormir. Tente pensar sobre o que está acontecendo no fígado. Você poderá sentir as pedras caminhando pelos dutos biliares, mas sem dor porque as válvulas da vesícula e dos dutos biliares estarão abertas, graças ao sal-amargo.

    Tente ficar completamente parado na mesma posição (de costas) pelo menos por 1 hora (melhor se forem 2 horas imóvel). Esvaziar a mente e dormir é o melhor a fazer agora.

     

    Parte 8 – o dia seguinte e o terceiro copo

    Ao despertar, tome o copo 3 de sal-amargo, mas não antes das 6 horas da manhã. Se você tiver alguma indigestão ou náusea ao acordar, aguarde até que passe, antes de beber. Depois de beber, pode voltar para a cama.

     

    Parte 9 – quarto e último copo

    Duas horas depois de tomar o terceiro, beba o copo 4 do sal-amargo. Se quiser, volte para a cama.

     

    Parte 1- comer

    Duas horas depois da última dose de sal-amargo, pode comer novamente. Comece com suco de frutas ou um copo de clorofila. Depois de 2 horas, pode comer comida normal, mas prefira alimentos leves, de fácil digestão e com pouco ou nenhum tempero (principalmente condimentos). Você deverá se sentir restabelecido ao fim da tarde.

    Nota: Alimentos bem leves são aconselháveis durante este dia. Afinal, quase todo o percurso dos intestinos (uns 5 a 7 metros) terá se esvaziado durante a limpeza.

     

    Como saber se a limpeza deu resultado ?

    Espere por uma leve diarréia logo pela manha (talvez não imediatamente após acordar). Ela é necessária para que as pedras que desceram da vesícula possam ser expelidas para fora do corpo.

    Pode-se usar uma lanterna para ver as pedras no vaso. Procure pela esverdeada, pois ela é prova de pedra biliar genuína – e não resíduos de comida. Só a bile do fígado é verde como uma ervilha. O verde pode estar bem claro ou mais escuro (pedras formadas há mais tempo).

    Se quiser ver melhor as pedras, coloque algum tipo de peneira de furos maiores (grossa) no vaso (acima da água). A diarreia fará com que as fezes passem diluídas pelos furos e as pedras ficarão na peneira.

    MAS É IMPORTANTE NÃO HAVER CONTATO COM AS FEZES PARA NÃO OCORRER NENHUMA CONTAMINAÇÃO! USE A PENEIRA SOMENTE SE TIVER CURIOSIDADE.

    O melhor é visualizar e descartar o quanto antes, pois as pedras geralmente estão contaminadas por bactérias, microrganismos nocivos e até vermes. Não adianta usar luvas ou “proteção” porque alguns são menores que os poros da luva e entram novamente no organismo pela pele.

    Geralmente, para que a pessoa se livre completamente de alergias, bursite e dores na parte superior das costas, cerca de 2 mil pedras terão que ser expelidas. Mas esse número de pedras é o resultado da soma de algumas limpezas seguidas. A primeira limpeza talvez livre a pessoa de alguns sintomas por poucos dias, mas assim que as pedras da parte anterior do fígado começarem a descer para frente os sintomas retornam.

    Pode-se repetir a limpeza com intervalos de 2 semanas, pelo menos (sugerimos 20 dias a 1 mês). Nunca faça a limpeza quando estiver doente.

    São esperadas de 50 a 200 pedras ou cristais por evacuação.

    Este procedimento contradiz vários pontos de vista médico. Acredita-se que as pedras biliares são formadas na vesícula biliar, não no fígado. Pensa-se que são algumas e não milhares. Os médicos não as ligam às dores além daquelas que atingem a vesícula. E é fácil compreender isso: quando a dor aguda aparece, várias pedras já estão na vesícula e são grandes e suficientemente calcificadas para serem vistas nos raios-X e, claro, já causaram inflamações lá. Quando a vesícula é retirada, as dores se vão, mas outros sintomas, como bursite e outras dores e problemas digestivos, continuam.

     

    2 – Protocolo Andreas Moritz

    Livro’ limpeza do ficado e da vesícula’

    Cerca de 10 milhões de pessoas, só nos Estados Unidos têm cálculos diagnosticados na vesícula biliar. A terapia indicada pela medicina normal é, na grande maioria dos casos, a retirada da vesícula por meio de cirurgia.

    O que a maioria não sabe (e a medicina ocidental não considera) é que quase todos temos pedras pequeninas no fígado, a maioria pouco maiores que grãos de areia. Quando aparecem na vesícula, é porque já se aglomeraram, formando pedras maiores.

    Depois do cérebro, o fígado é o órgão mais complexo e sensível do nosso corpo. Além de produzir a bile, necessária para a digestão das gorduras, ele é o laboratório do corpo: é responsável por analisar tudo o que entra, além de sintetizar muitas proteínas e outras substâncias necessárias ao bom funcionamento do corpo. Por isso, não só o que comemos de gorduras, mas principalmente a qualidade e quantidade de proteínas na alimentação afetam o fígado. O excesso de proteína animal é bastante prejudicial.

    Vários fatores desregulam o fígado:

    – Na vida moderna, nossa alimentação se tornou não-biológica, cheia de aditivos químicos e pobre em nutrientes valiosos;

    – Desidratação: muitas pessoas bebem pouca água. Para um adulto, qualquer coisa abaixo de um litro de água pura por dia, é pouco. Falta de água afeta todas as funções vitais do organismo, e também a constituição da bile, favorecendo a formação de cálculos. E não se engane: bebidas diuréticas como café, chá preto, refrigerantes e álcool exigem um consumo adicional de água. Sucos naturais e chás não-diuréticos contam, mas precisam de mais tempo para serem assimilados pelo organismo.

    – O excesso de informações, a aceleração, o stress e a repressão emocional, além do desequilíbrio mental/emocional, também afetam esse órgão.

    Esses fatores acarretam mudanças sutis na composição da bile, que não flui direito e acaba formando cálculos, obstruindo os dutos e diminuindo a efetividade do órgão em suas diversas funções. Sintomas comuns relacionados ao comprometimento do fígado são, entre outros: fadiga, má digestão, dores de barriga, manchas e coceiras na pele, dores nas costas e nos ombros. O mau funcionamento do fígado também compromete o trabalho de outros órgãos, principalmente dos rins.

    Felizmente, do ponto de vista holístico da medicina alternativa, é possível recompor o equilíbrio com técnicas e procedimentos mais naturais, como esta limpeza de fígado e vesícula. À primeira vista, estes procedimentos exigem um pouco mais do paciente, que passa a ser um agente ativo no restabelecimento de sua saúde, em vez de apenas entregar-se passivamente aos cuidados de supostos entendidos no assunto. Também por isso, os resultados são mais satisfatórios, visto que o paciente sai fortalecido pela satisfação de haver atuado com sua própria força e vontade.

     

    A Limpeza

    Duração: 7 dias – Recomendamos que o dia 1 seja uma segunda-feira, usaremos para esse exemplo a segunda-feira, mas você pode começar em qualquer dia. Por favor, siga à risca as recomendações e o plano abaixo, no tempo e horários exatos, para obter o máximo de benefício.

    Ingredientes:

  • 24 maçãs (4 por dia por 6 dias)
  • 4 colheres de sopa de sal amargo (sulfato de magnésio – dois envelopinhos são suficientes – estão à venda em qualquer farmácia por aprox. R$ 1,00)
  • Azeite de oliva extra virgem (100 ml)
  • Suco de limão (aprox. 150 ml)
  •  

    Dia 1 – segunda-feira ao dia 5 – sexta-feira

    Beba o suco de 4 maçãs durante o dia. Você pode beber mais do que 4 maçãs se se sentir bem com isso. O suco deve ser adicional ao seu consumo normal de água.

    Evite comidas e bebidas geladas. Toda comida e bebida devem estar pelo menos à temperatura ambiente.

    Para ajudar o fígado a se preparar para a limpeza principal, evite comidas de origem animal, laticínios e comidas congeladas. Reduza bebidas diuréticas como café, chá preto e refrigerantes. Não beba álcool. Beba água. À parte disso, faça refeições normais, evitando excessos.

     

    Dia 6 – sábado

    Até as 14h:
    Beba seu suco de 4 maçãs como nos outros dias. Se tiver fome de manhã, coma um desjejum leve; sucos e frutas vão bem. Evite açúcar e outros adoçantes, temperos, leite, manteiga, óleos, iogurte, queijo, ovos, nozes (castanhas, amendoins), massas, cereais frios, etc.

    No almoço, coma vegetais cozidos ou refogados, acompanhando arroz. Repetindo: não coma proteínas, manteiga ou óleo, ou poderá passar mal durante a limpeza.

    14h
    Aqui inicia seu jejum até as 10h da manhã de amanhã. Ingira somente água, Não coma nem beba nada além de água depois das 14:00h, ou poderá não expelir nenhum cálculo.

    18h
    Beba sua primeira dose de sal amargo (1 colher de sopa em um copo d’água) Obs.: Se quiser, adicione um pouco de suco de limão à mistura do sal amargo para melhorar o sabor. Pode beber água depois, escovar os dentes ou lavar a boca.

    20h
    Beba sua segunda dose de sal amargo (1 colher de sopa em um copo d’água)

    21h30
    Se não evacuou até agora, e não fez uma lavagem intestinal nas últimas 24 horas, aplique-se um enema de água. (não é obrigatório)

    21h45
    Lave bem os limões, esprema-os e coe. É necessário aprox. 150 ml ou ¾ de copo de suco. Junte com meio copo (100 ml) de azeite de oliva extra virgem coloque os dois numa garrafinha ou frasco (de preferência de vidro) e agite fortemente por 20 vezes até a mistura ficar homogênea. Você deve bebê-la de preferência em até 10 minutos, não atrase muito.

    22h
    Fique em pé ao lado da cama (não sente) e beba a mistura, se possível de uma vez. Aquiete-se e deite-se imediatamente! Isso é essencial para ajudar a soltar as pedras. Fique em silêncio, apague a luz e deite-se de costas. A cabeça deve ficar mais alta que o abdômen. Se não aguentar ficar nessa posição, deite-se do lado direito com os joelhos dobrados. Fique perfeitamente imóvel e quieto por pelo menos 25 minutos.

    Fixe sua atenção no fígado, algumas pessoas conseguem sentir as pedras movendo-se através dos condutos biliares. Se quiser pode fazer uma visualização de luzes no fígado ou orações de sua preferência.

    Durma se puder.

    Durante a noite se tiver vontade de ir ao banheiro durante a noite, vá. Comprove se já saiu algum cálculo. A maioria são verdinhos e flutuam na água (cor de ervilha). Também pode haver alguns brancos/acinzentados, que afundam (de cálcio e pigmentos).

    Sentir uma leve náusea durante a noite/manhã é normal, ela passará no decorrer da manhã.

     

    Dia 7 – domingo

    6h – 6h30
    Beba a terceira dose de sal amargo (1 colher de sopa em um copo d’água). Descanse, leia ou medite. Se tiver muito sono, volte a dormir, mas o ideal é permanecer com o corpo levantado.

    8h – 8h30
    Beba a quarta dose de sal amargo (1 colher de sopa em um copo d’água).

    10h – 10:30h
    A essa hora você pode ir finalizando seu jejum, volte a beber suco de frutas frescas. Meia hora depois, pode comer umas frutas. Uma hora depois, pode comer normal, mas leve. Volte aos poucos.

    Restante da manhã e tarde
    Na manhã e tarde após a limpeza, você provavelmente evacuará várias vezes. Inicialmente, consistirão de cálculos biliares misturados com resíduos de comida, e depois somente cálculos com água. A maioria dos cálculos são verde-claros e flutuam, pois contêm componentes da bile. Eles vêm em diferentes tons de verde e podem ser reluzentes como pedras preciosas. Somente a bile do fígado pode causar a coloração verde. Podem ser de vários tamanhos, cores e formas. Os mais claros são os mais novos, os escuros, quase pretos, os mais velhos. Alguns têm o tamanho de uma ervilha ou menor, outros podem ter até 2-3 cm de diâmetro. Podem vir às dúzias, ou mesmo centenas.

    Fique atento a pedras marrons ou brancas. As maiores destas afundam na água, pois são calcificadas e contêm substâncias tóxicas mais pesadas. Os cálculos verdes e amarelados estão moles e pastosas, graças à ação do suco de maçãs. Pode haver também uma fina camada de espuma branca ou bronzeada flutuando na privada. Essa espuma é feita de milhões de minúsculos e pontudos cristais de colesterol, que podem facilmente romper os pequenos dutos da bile. É igualmente importante livrar-se deles.

    Noite, manhã seguinte e próximos dias
    Pela noite ou na manhã seguinte estará de volta à rotina. Continue comendo refeições leves nos próximos dias. Não esqueça: seu fígado e sua vesícula passaram por uma cirurgia, se bem que sem os efeitos colaterais nocivos.

    Importante! Leia com atenção:

    A limpeza de fígado é um dos mais valiosos e efetivos métodos para recuperar a saúde. Não há risco, se seguir as instruções à risca. Por favor, leve as instruções seguintes a sério. Há muitas pessoas que seguiram uma receita de limpeza de fígado recebida de amigos ou pela internet, e sofreram complicações desnecessárias. Não tinham completo conhecimento de como funciona o procedimento, acreditando que bastasse eliminar os cálculos do fígado e da vesícula biliar.

    É provável que, no caminho para fora, alguns cálculos fiquem presos no cólon. Estes podem rapidamente ser removidos por irrigação colônia. Idealmente, deve ser feita no segundo ou terceiro dia após a limpeza. Cálculos que ficarem presos no cólon podem causar irritação, infecção, dores de cabeça e desconforto abdominal, problemas na tiroide, etc.

    Essas pedras podem eventualmente tornar-se focos de toxinas no corpo. Se não tiver acesso a irrigação colônia, pode fazer um enema de café seguido de outro de água. Contudo, isto não assegura que todos os cálculos remanescentes sejam removidos. Para melhorar as chances de qualquer alternativa, tome uma colher de chá rasa de sal amargo em um copo de água morna logo ao acordar, no dia escolhido para a limpeza de cólon.